Desejando o avivamento pela Palavra de Deus.

Texto base: Salmo 119.25,37,40,50,88,107,149,154,156,159.

Está apegada ao pó minha alma, vivifique-me conforme Tua Palavra. (25)
Anseio com intensidade Teus cuidados, com Tua justiça vivifique-me. (40)
Isto é meu lenitivo na infelicidade: Por causa da Tua Promessa vivifique-me. (50)
Estou sendo muito humilhado (mortificado), Senhor vivifique-me com a Tua Palavra. (107)
Defende minha disputa e reponde em meu lugar, pela Tua promessa (Palavra) vivifique-me. (154)

Abra uma passagem (me ajude a atravessar o caminho) para que meus olhos não apreciem a mentira, vivifique-me no Teu Caminho. (37)

Por causa da Tua misericórdia vivifique-me e guardarei Tua aliança de Tua boa (88)
Escute minha voz com Tua misericórdia Senhor, com Tua norma (juízo) vivifique-me. (149)
Tuas misericórdias (Tuas entranhas) são grandes, Senhor com Tua norma (juízo) vivifique-me. (156)
Verei Tuas ordens com paixão, Senhor conforme Tua misericórdia vivifique-me. (159)

Introdução

A oração por avivamento é uma realidade testemunhada nas Sagradas Escrituras. Em momentos de apatia e impassibilidade, homens clamaram diante de Deus desejando um avivamento.

Ilustração:

“Tenho ouvido, ó Senhor, as tuas declarações, e me sinto alarmado; aviva a tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos, e, no decurso dos anos, faze-a conhecida; na tua ira, lembra-te da misericórdia.” (Habacuque 3:2, RA)

Hoje quando celebramos a vitoriosa reforma protestante do século XVI, não podemos perder de vista que estamos vivendo em tempos difíceis, onde em vários níveis se manifesta uma apatia mórbida na piedade dos Evangélicos brasileiros. Há um vale de ossos secos manifesto na falta de paixão pela oração, leitura da Bíblia, santidade, comunhão, piedade, compaixão, testemunho e esperança na volta do Senhor. Em virtude desta apatia manifesta, vemos que o desafio da Igreja reformada sempre se reformando ainda é pertinente, na medida em que precisamos voltar para as Sagradas Escrituras.

O salmo de hoje, é o maior dos poemas acrósticos do AT e como Palavra de Deus nos ensina que a voz do Senhor é perfeita, justa e capaz de instruir em todos os sentidos da vida. Para o biblista P. House a lição do salmo 119 é clara:

“A Palavra de Deus é perfeita e valiosa. O futuro de Israel deve ser construído com base nos princípios da Palavra de Deus.” (Teologia do Antigo Testamento).

Nesse sentido, os versos do salmo 119 que hoje lemos nos oferecem um ponto decisivo da Palavra: Ela é instrumento para o avivamento do povo de Deus.

Pelo menos três questões são respondidas neste salmo, a saber:

 Porque devemos desejar um avivamento pela Palavra de Deus?
 Para que devemos desejar um avivamento pela Palavra de Deus?
 Como devemos desejar um avivamento pela Palavra de Deus?

Primeiramente o salmista nos ensina que:

1. Devemos desejar o avivamento pela Palavra de Deus por causa da nossa mendicância.

O termo indigência que aqui usamos, para ilustrar o ensino do salmo, tem realmente o sentido de miséria. Este senso de limitação e irrelevância existencial se vê claramente no verso 25 quando o salmista diz: Está apegada ao pó minha alma, vivifique-me conforme Tua Palavra.

Em outros temos ele está dizendo que sua vida é terrena, frágil e pode ser desfalecida. A existência se impõe, mas não existe vida, não existe gosto, não existe vigor, não viço, não existe energia para viver.

Mesmo neste estado mórbido, o salmista contempla a Palavra de Deus e abre diante do Senhor o seu desejo: Vivifique-me conforme Tua Palavra.

Ainda neste mesmo espírito de indigência, ele confessa: Anseio com intensidade Teus cuidados, com Tua justiça vivifique-me. (40)

Veja que há no coração do salmista um intenso anseio (um sentimento forte) pelos cuidados de Deus. É como se estivesse dizendo:

Senhor! Desejo muito que cuides da minha vida. E logo em seguida em roga: Com Tua justiça vivifica-me. O salmista entende que a Palavra de Deus é uma norma justa e quando nela buscamos nutrição para alma, recebemos o cuidado do Senhor em todas as áreas da nossa vida.

No verso 50 ele diz: Isto é meu lenitivo na infelicidade: Por causa da Tua Promessa vivifique-me.

Em dias difíceis, o salmista possuía um consolo: As promessas de Deus. São muitas as Suas promessas e ele se agarra nelas para obter refrigério, tranqüilidade e acima de tudo para nutrir sua alma.

Ilustração:

“Ampara-me, segundo a tua promessa, para que eu viva; não permitas que a minha esperança me envergonhe.” (Salmos 119:116, RA)

“Alegro-me nas tuas promessas, como quem acha grandes despojos.” (Salmos 119:162, RA)

O senso de dependência de Deus, também pode ser visto no verso 107 e 154, quando ele diz: Estou sendo muito humilhado (mortificado), Senhor vivifique-me com a Tua Palavra. Defende minha disputa e reponde em meu lugar, pela Tua promessa (Palavra) vivifique-me.

Em ambas as situações, vemos uma menção de conjunturas calamitosas que estão fora do seu controle. Tais circunstâncias humilham as suas forças e o fazem desfalecer, por isso ele busca na Palavra de Deus o alimento para sustentar o seu ser diante das calamidades.

Ao mesmo tempo ele também menciona seus conflitos. Sem forças para lutar ele roga para Deus venha lutar a sua batalha e pede para ser reavivado nas promessas.

Em segundo lugar o salmista nos ensina que:

2. Devemos desejar o avivamento pela Palavra de Deus para resistirmos às vaidades desta vida.

Este ensino está no verso 37, que diz: Abra uma passagem (me ajude a atravessar o caminho) para que meus olhos não apreciem a mentira, vivifique-me no Teu Caminho. (37)

Em nossa versão está escrito: “Desvia os meus olhos, para que não vejam a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.” (Salmos 119:37, RA)

Na tradução livre que fizemos do texto original, destacamos que o desejo do coração do salmista é para que o Senhor mostre um caminho, uma passagem, uma senda que facilite sua peregrinação neste mundo, de tal maneira que seus olhos (sede de toda estimativa e apreciação) não concedam atenção para as mentiras, isto é, o vazio, as ilusões, as vaidades de uma realidade desprovida da Verdade de Deus.
Para superar o mundo das ilusões, ele pede: Vivifica-me no teu caminho. Em outras palavras ele está orando assim:

Senhor! Alimenta-me com tua verdade, mostra o teu caminho para que eu possa verdadeiramente reviver.

E por fim o salmista nos ensina que:

3. Devemos desejar o avivamento pela Palavra de Deus confiando no caráter misericordioso do Senhor.

O salmista possui uma especial atenção pela misericórdia de Deus (ds,x,). E confiando nesta entranhada misericórdia, compaixão e graça divina, ele deseja nutrir sua alma, ou melhor, avivar seu ser para alcançar algumas atitudes:

 A primeira atitude é obedecer a aliança de Deus.

No verso 88, lemos: Por causa da Tua misericórdia vivifique-me e guardarei Tua aliança de Tua boca.
No verso 149, ele diz: Escute minha voz com Tua misericórdia Senhor, com Tua norma (juízo) vivifique-me.
E no verso 156, está escrito: Tuas misericórdias (Tuas entranhas) são grandes, Senhor com Tua norma (juízo) vivifique-me.

Em todas as passagens o salmista reconhece em alta conta os mandamentos, a aliança e os juízos de Deus. Diante de tamanha justiça, ele roga para que o Senhor, em sua grande misericórdia ajude-o a assumir dia a dia os mandamentos da Palavra.

 A segunda atitude é a paixão pela norma de Deus.

No verso 159, lemos: Verei Tuas ordens com paixão, Senhor conforme Tua misericórdia vivifique-me.

O salmista entende que só pode amar os mandamentos de Deus, se o Senhor mesmo com bondade e misericórdia nutrir o seu ser. Somente assim, pela graça de Deus, ele poderá examinar cada letra da bíblia com paixão e amor.

Aplicação

Diante do texto que acabamos de ler temos que encarar algumas questões:

Porque devemos desejar um avivamento pela Palavra de Deus? Para que devemos desejar um avivamento pela Palavra de Deus? Como devemos desejar um avivamento pela Palavra de Deus?

Precisamos arder por um avivamento com base na Palavra de Deus por que:

 Somos pó e barro. Somos fracos, irrelevantes e nada podemos fazer por nós mesmos;

“O líder cristão do futuro é chamado para ser completamente irrelevante e a estar neste mundo sem nada a oferecer, a não ser a sua própria pessoa vulnerável” (Henri Nouwen).

 Somos dependentes de Deus, precisamos dos cuidados e da orientação do Senhor a todo instante e podemos encontrar o cuidado de Deus quando ouvimos a Sua Palavra;

 Somos barro suscetível a tristeza e as tentações deste mundo e na Palavra podemos encontrar alento e escudo para a nossa alma aflita;

 Somos confrontados por lutas, oposições e tribulações que humilham as mais brilhantes estratégias, somos surpreendidos em nossas bases mais seguras e nessas horas podemos contar com a providência de Deus através da Sua Palavra lutando nossas lutas e mostrando luz no meio das trevas;

Como bem disse o Rev. Hernandes: “A Palavra de Deus sempre foi a base para a busca do avivamento. Avivamentos bíblicos, começam com a Palavra. Quando a Palavra é reencontrada, quando o povo passa a dar atenção aos preceitos de Deus, há humilhação, há arrependimento, há volta para Deus e vida nova com o Senhor”

O contrário também é verdadeiro, pois quando não buscamos a Palavra de Deus, a alma padece sem vigor, viço, alegria e vida.

Precisamos arder por um avivamento com base na Palavra de Deus para que:

 O Senhor nos mostre um caminho que guarde nossos olhos das mentiras deste mundo, que a todo o momento, tenta nos distrair da simplicidade do Evangelho de Jesus Cristo;

 Desejemos ainda mais o Caminho de Deus, ou seja, o mundo de Deus, cujas categorias são fundamentais para orientar a vida (visão de mundo).

“A Bíblia nos foi dada para tornar-nos humildes, santos e sábios quanto às realidades espirituais; para dirigir-nos quanto aos nossos deveres, libertar-nos de nossas tentações, consolar-nos nas nossas tribulações e fazer-nos amar a Deus e viver para Ele” (Owen)

Precisamos arder por um avivamento com base na Palavra de Deus confiando no caráter de Deus:

 Sabendo que “Nenhuma promessa falhou de todas as boas palavras que o Senhor falara à casa de Israel; tudo se cumpriu.” (Josué 21:45, RA).

 As misericórdias de Deus não têm fim: “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade.” (Lamentações 3:22-23, RA)

 Se porventura você perdeu o vigor, o viço, a alegria, a felicidade na obra de Deus, hoje O Espírito Santo nos convoca a depositar nossa confiança na misericórdia de Deus.

 “Vivificar” significa “dar vida”. A Palavra nos dá vida eterna quando cremos (1Pe 1.23). Ela é a Palavra viva (Hb 4.12). A Palavra do Senhor também vivifica quando estamos fracos, desencorajados e derrotados. Há renovação quando nos entregamos à Palavra do Senhor” (W. Wiersbe)

 Em nome de Jesus coloque sua vida diante de Deus pedindo:

Por causa da Tua misericórdia vivifique-me e guardarei Tua aliança de Tua boa (88)
Escute minha voz com Tua misericórdia Senhor, com Tua norma (juízo) vivifique-me. (149)
Tuas misericórdias (Tuas entranhas) são grandes, Senhor com Tua norma (juízo) vivifique-me. (156)
Verei Tuas ordens com paixão, Senhor conforme Tua misericórdia vivifique-me. (159)

Que Deus nos ajude!

Anúncios